Juiz de Fora

Guarda Municipal socorre vítima de importunação sexual e agressão em Juiz de Fora

Equipe fazia ronda pelo centro da cidade, quando foi parada por populares que disseram que uma mulher estava sendo agredida.

Uma equipe da Guarda Municipal fazia uma ronda pela rua Batista de Oliveira, no centro de Juiz de Fora, na Zona da Mata Mineira, nessa segunda-feira, 12, quando foi parada por algumas pessoas. Elas relataram que uma mulher estava sendo agredida.

Os Guardas desembarcaram para atender à ocorrência e se encontraram com uma jovem, de 24 anos, muito abalada. Ela contou ter sido anteriormente vítima de importunação sexual. Um homem, de 65 anos, teria passado a mão em seu corpo. A vítima reagiu e tentou retirar a mão do autor. Nesse momento, ele passou a agredi-la, com um tapa e um empurrão no peito.

A Guarda Municipal identificou o autor e deu voz de prisão, conduzindo-o à delegacia de polícia civil em Santa Terezinha, onde o delegado de plantão recebeu a ocorrência. O homem teve a prisão confirmada foi encaminhado para Matias Barbosa, onde, por precaução contra a Covid-19, os presos ficam por um período de tempo antes de serem enviados ao Ceresp, Centro de Remanejamento do Sistema Prisional.

Desde 2018, a importunação passou a ser tratada como crime. A lei nº 13.718, define como importunação sexual praticar contra alguém e sem a sua anuência ato libidinoso com o objetivo de satisfazer a própria lascívia ou a de terceiro. A penalidade prevista é de reclusão de um a cinco anos.

A Guarda Municipal está apta a atender casos de importunação sexual, orientando e dando apoio à vítima para o registro de ocorrência. A mulher que se sentir constrangida e até alvo de importunação pode procurar a Guarda Municipal de forma direta em abordagem aos agentes na via pública, pelo telefone 153 ou pelo aplicativo Cidade Segura.

Continue lendo

Artigos relacionados


 
Botão Voltar ao topo