São Paulo

Guia da reabertura em São Paulo: comprovante de vacinação e as regras e dicas de lazer, turismo e eventos

O uso de máscara continua obrigatório, assim como a disponibilização de álcool em gel em todos os locais. O comprovante de ao menos uma dose da vacina passa a ser exigido em shows, feiras, congressos e jogos.

O funcionamento dos espaços culturais no estado de São Paulo e capital paulista está liberado para 100% de ocupação. A regra é válida para museus, cinemas, teatros e espaços de eventos.

No entanto, não pode ter aglomerações e o distanciamento deve ser de, no mínimo, 1,5 metro, conforme determinação do governo estadual. Por isso, cada local deve definir sua ocupação máxima de acordo com o espaço disponível para o cumprimento das medidas. Além disso, os protocolos sanitários de higiene e de saúde devem ser respeitados.

O uso de máscara continua obrigatório, assim como a disponibilização de álcool em gel em todos os equipamentos. Os shows com público em pé ainda não estão liberados, apenas com pessoas sentadas em mesas com o distanciamento exigido.

O que está valendo?

 

Eventos, shows, feiras e congressos

  • Permitidos, com uso obrigatório de máscara e distanciamento de 1 metro entre os participantes
  • De acordo com previsão do governo estadual, shows com público em pé serão liberados apenas em novembro
  • Comprovante de vacinação com, pelo menos, uma dose da vacina contra Covid-19 obrigatório para eventos com mais de 500 pessoas

 

Academias, piscinas, centros de treinamento, lojas, serviços, cinemas, teatros, parques, museus

  • Permitidos, com uso obrigatório de máscara e distanciamento de 1 metro
  • Ocupação de até 100% nos estabelecimentos

 

Bares, lanchonetes e restaurantes

  • Permitidos, com uso obrigatório de máscara e distanciamento de 1 metro
  • Ocupação de até 100% nos estabelecimentos

 

Estádios e jogos de futebol

  • Permitidos com a presença de público com esquema vacinal completo*
  • Lotação de 30% da capacidade do local (ampliação para 50% a partir de 15 de outubro e 100% em 1º de novembro)

 

Por esquema vacinal completo, entende-se pessoas acima de 60 após 14 dias da dose de reforço e pessoas de 15 a 59 anos após 14 dias da segunda dose da vacina.

Comprovante de vacinação

 

Desde o dia 1º de setembro, passou a valer na cidade de São Paulo a apresentação de um comprovante de vacinação com, pelo menos, uma dose de vacina contra Covid-19 para todos os eventos da cidade que tiverem mais de 500 pessoas.

De acordo com o decreto estabelecido pelo prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), a exigência de apresentação obrigatória do comprovante de vacinação contra a Covid-19 vai vale para shows, feiras, congressos e jogos, onde o participante terá que apresentar o comprovante físico ou virtual de ao menos uma dose da vacinação contra a Covid-19.

  • FÓRMULA 1: Grande Prêmio SP em novembro deverá ter 100% de público

 

Como baixar o comprovante?

  • Os participantes dos eventos poderão baixar o QR Code do “passaporte da vacina” no aplicativo E-saúde, da Secretaria Municipal da Saúde.
  • É necessário fazer um cadastro com dados do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), data de nascimento, nome completo, e-mail e telefone.
  • Caso não tenha acesso ao aplicativo, também é possível apresentar o comprovante físico que é entregue no momento da imunização.

 

Com o aumento da vacinação contra a Covid-19 e reabertura da economia, veja abaixo algumas opções de lazer para curtir a cidade de São Paulo.

Museus

 

Pinacoteca do Estado

 

Pinacoteca do Estado — Foto: Fabio Tito/G1

Pinacoteca do Estado — Foto: Fabio Tito/G1

Localizada no bairro da Luz, no Centro antigo de São Paulo, a Pinacoteca do Estado ocupa um prédio projetado por Ramos de Azevedo em 1897. O acervo conta com cerca de 4 mil peças de artistas paulistas como Almeida Júnior, Pedro Alexandrino e Oscar Pereira da Silva. O museu também abriga obras de Cândido Portinari, Anita Malfatti, Victor Brecheret, Tarsila do Amaral e Di Cavalcanti, além de exposições como as de Rodin e Miró.

O museu está com cinco exposições em cartaz:

  • Uma Obra (até 16 de maio de 2022);
  • Enciclopédia Negra (até 8 de novembro de 2021);
  • John Graz: idílio tropical e moderno (até 31 de janeiro de 2022);
  • André Komatsu: Noite longa (até 8 de novembro de 2021);
  • Pinacoteca: acervo (até dezembro de 2025).

 

Paço das Artes

 

O Paço das Artes reúne todos os segmentos das artes visuais: plásticas, visuais e multimídia. A programação engloba exposições, exibições de vídeos, palestras, simpósios, shows, festas, espetáculos de dança, eventos musicais, festivais multimídia e oficinas para crianças e adultos. Atualmente, o escritório do Paço das Artes funciona de forma temporária no Museu da Imagem e do Som (MIS).

Atualmente, a única exposição em cartaz é a Temporada de Projetos 25 anos.

Museu Paulista

 

Museu do Ipiranga será reinaugurado em setembro de 2022 — Foto: Divulgação/Governo de São Paulo

Museu do Ipiranga será reinaugurado em setembro de 2022 — Foto: Divulgação/Governo de São Paulo

O Museu Paulista, conhecido como Museu do Ipiranga, possui um acervo com cerca de 150 mil itens, abrangendo coleções de objetos, mobiliários e obras de arte com relevância histórica, sobretudo as que possuem relação com o período que abrange a Independência do Brasil.

Inaugurado oficialmente em 1895, é o mais antigo museu público de São Paulo, e está fechado desde agosto de 2013 para reforma. A previsão de reabertura é 7 de setembro de 2022.

Museu do Futebol

 

Sala das Copas do Mundo reconta todas as edições do Mundial da Fifa, de 1930 a 2014 — Foto: Thais Orsi/Museu do Futebol/Divulgação

Sala das Copas do Mundo reconta todas as edições do Mundial da Fifa, de 1930 a 2014 — Foto: Thais Orsi/Museu do Futebol/Divulgação

O Museu do Futebol, que fica dentro do Estádio do Pacaembu, na Zona Oeste de São Paulo, conta a história desse esporte que surgiu na Inglaterra.

O visitante tem acesso a uma seqüência de experiências visuais e sonoras que relacionam o esporte e a vida do brasileiro. Atualmente, o museu apresenta duas exposições, além do acervo de longa duração:

  • Tempo de Reação – 100 anos do goleiro Barbosa (até 21 de novembro de 2021);
  • Mulheres do Futebol (audioguia).

 

Museu de Zoologia da USP

 

Museu de Zoologia da USP — Foto: Divulgação

Museu de Zoologia da USP — Foto: Divulgação

O Museu de Zoologia expõe animais em uma área de 700 m², pertence à fauna tropical, que foram empalhados ou embalsamados há mais de 50 anos. Os animais são agrupados conforme sua classificação: peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos, e invertebrados como corais, crustáceos e moluscos. O museu tem esposições de longa duração e temporárias.

Museu de Arte Sacra

 

Museu de Arte Sacra em São Paulo — Foto: Divulgação

Museu de Arte Sacra em São Paulo — Foto: Divulgação

O acervo do Museu de Arte Sacra começou a ser formado por Dom Duarte Leopoldo e Silva, primeiro arcebispo de São Paulo, que passou a recolher imagens sacras de igrejas e pequenas capelas de fazendas que sistematicamente eram demolidas após a Proclamação da República a partir de 1907.

O museu ocupa a ala esquerda térrea do Mosteiro de Nossa Senhora da Imaculada Conceição da Luz e a antiga Casa do Capelão, na Avenida Tiradentes, na Luz.

Atualmente conta com uma exposição de longa duração, o Presépio Natalino, mas que tem acesso apenas aos sábados e domingos das 11h30 às 12h30 e das 15 às 16h.

Museu de Arte Contemporânea

 

Museu de Arte Contemporânea (MAC) da USP — Foto: Divulgação

Museu de Arte Contemporânea (MAC) da USP — Foto: Divulgação

O Museu de Arte Contemporânea (MAC) da Universidade de São Paulo (USP) possui um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do mundo.

Veja as exposições em cartaz:

  • Regina Silveira: Outros Paradoxos (até 3 de julho de 2022);
  • Projetos para um cotidiano moderno no Brasil, 1920-1960 (até 24 de junho de 2022);
  • Carma Ideológico: Grupo EmpreZa (até 12 de dezembro de 2021);
  • Coleção Fulvia e Adolpho Leirner do Art Déco Brasileiro (data indefinida);
  • Zona da Mata (até 1º de maio de 2022);
  • Muito Além das aparências – A Imagem Crítica de Pedro Meyer (até 13 de fevereiro de 2022);
  • Memorial do Desenho (até 13 de fevereiro de 2022);
  • MAC USP no século XXI – A Era dos Artistas (data indefinida);
  • Visões da Arte no Acervo do MAC USP 1900-2000 (até 24 de julho de 2022);
  • Vizinhos Distantes: Arte da América Latina no Acervo do MAC USP (até 30 de dezembro de 2021).

 

Museu da Língua Portuguesa

 

Telão no Museu da Língua Portuguesa mostra países que possuem o mesmo idioma oficial — Foto: Bárbara Muniz Vieira/G1

Telão no Museu da Língua Portuguesa mostra países que possuem o mesmo idioma oficial — Foto: Bárbara Muniz Vieira/G1

O Museu da Língua Portuguesa é um dos primeiros museus totalmente dedicados a um idioma, ele é localizado na Luz, região central de São Paulo, cidade que tem o maior número de falantes do português no mundo.

O espaço foi reinaugurado em julho, após ficar seis anos fechado após ser atingido por um incêndio.

Por causa da pandemia, as visitas estão restritas a grupos de 40 pessoas a cada 45 minutos. Os ingressos podem ser comprados pela internet com dia e horário agendados. Os visitantes vão receber um chaveiro touch screen para evitar o toque das mãos nas telas interativas. O uso de máscara é obrigatório.

Aos sábados a visita é gratuita, mas também precisa ser agendada. Nos outros dias, o ingresso custa R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

Além da exposição permanente, há novas instalações. A instalação “Línguas do Mundo” é uma “floresta de línguas” feita com totens que recitam frases em 23 das mais de 7 mil línguas faladas atualmente. Já a instalação “Falares”, traz diferentes sotaques e expressões do idioma no Brasil.

E a instalação “Nós da Língua Portuguesa” apresenta a língua portuguesa no mundo, com os laços, embaraços e a diversidade cultural da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Museu da Imagem e do Som (MIS)

 

Museu da Imagem e do Som (MIS) nos Jardins, em São Paulo — Foto: Divulgação

Museu da Imagem e do Som (MIS) nos Jardins, em São Paulo — Foto: Divulgação

Criado em 1970, o Museu da Imagem e do Som tem como principal objetivo registrar e preservar o passado e o presente das manifestações ligadas às áreas de música, cinema, fotografia, artes gráficas, e tudo que diz respeito à vida contemporânea brasileira.

O MIS está celebrando a carreira de Rita Lee, uma das lendas vivas da música brasileira. A mostra tem itens originais dos 73 anos da vida pessoal e dos mais de 50 anos da carreira da cantora.

A exposição Samsung Rock Exhibition Rita Lee vai até 28 de dezembro de 2021.

Exposição em São Paulo celebra 50 anos da carreira de Rita Lee

Exposição em São Paulo celebra 50 anos da carreira de Rita Lee

Museu da Casa Brasileira

 

Museu da Casa Brasileira em São Paulo — Foto: Divulgação

Museu da Casa Brasileira em São Paulo — Foto: Divulgação

Réplica do Palácio Imperial de Petrópolis, no Rio de Janeiro, o Museu da Casa Brasileira guarda e conserva objetos, móveis e equipamentos de várias épocas da história da moradia no Brasil.

A mostra de longa duração Remanescentes da Mata Atlântica & Acervo MCB, com curadoria do botânico, Ricardo Cardim, reflete sobre a transformação da floresta brasileira, passando pela exuberância das árvores de grande porte, até o desaparecimento de espécies.

Museu da Imigração

 

O Museu da Imigração está sediado na antiga hospedaria que recebeu imigrantes de mais de 70 nacionalidades em SP — Foto: Divulgação

O Museu da Imigração está sediado na antiga hospedaria que recebeu imigrantes de mais de 70 nacionalidades em SP — Foto: Divulgação

O Museu Da Imigração, na Mooca, Zona Leste de São Paulo, fica na antiga hospedaria dos imigrantes que chegavam ao Brasil, pelo porto de Santos, para tentar uma nova vida.

O museu conta o processo migratório a partir da história das 2,5 milhões de pessoas, de mais de 70 nacionalidades, que passaram pelo prédio entre os anos de 1887 e 1978.

Além das mostras virtuais, veja as exposições em cartaz:

  • 1300° Das cinzas, uma árvore (até 26 de dezembro);
  • Instalação Avoar (até 17 de outubro);
  • “Migrar: experiências, memórias e identidades” (longa duração).

 

Memorial da América Latina

 

Memorial da América Latina — Foto: Douglas Cometti/Folhapress

Memorial da América Latina — Foto: Douglas Cometti/Folhapress

O Memorial da América Latina foi criado para ser um espaço de integração e informação dos países latino- americanos, suas raízes e culturas. No espaço localizado na Barra Funda, na Zona Oeste de São Paulo, fica a sede do Parlamento Latino-Americano – Parlatino.

Projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, o Memorial abriga um pavilhão de exposições.

Devido à pandemia de Covid-19, o Memorial da América Latina está com o horário de funcionamento alterado. Atualmente, a Praça Cívica está aberta somente para o Mega Drive-Thru da vacinação. A Praça da Sombra está aberta todos os dias, das 10h às 17h.

Catavento

 

Fachada do Museu Catavento, no Centro de São Paulo — Foto: Alexandre Carvalho/Divulgação

Fachada do Museu Catavento, no Centro de São Paulo — Foto: Alexandre Carvalho/Divulgação

O Catavento Espaço Cultural da Ciência tem um espaço lúdico, social e cultural, rico em objetos e ambientes de aprendizagem interativos que despertam a curiosidade e o interesse pela ciência.

O espaço fica no Palácio das Indústrias, antiga sede da Prefeitura de São Paulo, na Avenida Mercúrio, no Parque Dom Pedro 2º, no Centro da cidade.

Casa das Rosas

 

Museu Casa das Rosas na Avenida Paulista — Foto: Divulgação

Museu Casa das Rosas na Avenida Paulista — Foto: Divulgação

Projetada pelo escritório do arquiteto Ramos de Azevedo em 1930, a Casa das Rosas é uma das poucas mansões que restaram na Avenida Paulista da época dos barões do café.

Tombada pelo Patrimônio Histórico em 1985, a Casa das Rosas foi reaberta em 1995 com a proposta de ser um espaço cultural diferenciado, informatizado e dedicado a exposições.

Instituto Moreira Salles

 

Exposição conta a história de Carolina Maria de Jesus

–:–/–:–

Exposição conta a história de Carolina Maria de Jesus

Uma exposição no IMS conta a história de Carolina Maria de Jesus, uma das mais importantes escritoras do país. A mostra “Carolina Maria de Jesus: um Brasil para os brasileiros” ocupa dois andares do Instituto Moreira Sales, na Avenida Paulista.

Serviço

 

34ª Bienal de São Paulo

 

Meteorito Santa Luzia, o segundo maior objeto espacial conhecido no Brasil, integrante do acervo do Museu Nacional e atualmente exposto na 34ª Bienal de São Paulo — Foto: Patrícia Figueiredo/G1 SP

Meteorito Santa Luzia, o segundo maior objeto espacial conhecido no Brasil, integrante do acervo do Museu Nacional e atualmente exposto na 34ª Bienal de São Paulo — Foto: Patrícia Figueiredo/G1 SP

Inicialmente prevista para 2020, mas adiada por conta da pandemia, a Bienal tem como tema deste ano a frase “Faz escuro mas eu canto”, um verso do poeta amazonense Thiago de Mello escrito em 1965. A mostra reúne mais de 1.100 trabalhos de 91 artistas de todos os continentes.

As visitas não precisam ser agendadas previamente, mas é obrigatório o uso de máscaras e a apresentação de um comprovante de vacinação contra Covid-19, com pelo menos uma dose, para a entrada no pavilhão. O “passaporte da vacina” poderá ser apresentado por aplicativo de celular, chamado E-saúde, ou em formato físico.

  • Datas: De 4 de setembro a 5 de dezembro de 2021;
  • Horários: Terça, quarta, sexta e domingo, 10h – 19h (última entrada às 18h30); quinta e sábado, 10h – 21h (última entrada às 20h30);
  • Entrada gratuita;
  • Acesso mediante apresentação de comprovante de vacinação contra Covid-19 (carteirinha de vacinação impressa ou QR Code, também disponível nos aplicativos ConecteSUS, E-Saúde e Poupatempo);
  • Endereço: Av. Pedro Álvares Cabral, s.n. Parque Ibirapuera, Portão 3, São Paulo, SP.

 

Parques

 

  • Parque Villa-Lobos: 5:30h às 19h (diariamente)
  • Parque Ibirapuera: 5h às 23h (diariamente)
  • Parque do Povo: 6h às 22h (diariamente)
  • Parque da Água Branca: 6h às 20h (diariamente)
  • Parque Alberto Löfgren – Horto Florestal: 6h às 18h (diariamente)
  • Parque Guarapiranga: 6h às 18h (diariamente)
  • Zoológico: 9h às 17h (diariamente)
  • Parque Estadual do Jaraguá: 10 às 16h (para pedestres)
  • Parque do Carmo: 5:30h às 20h (diariamente)
  • Parque da Aclimação: 6h às 20h (diariamente)
  • Jardim das Perdizes: 6h às 22h (diariamente)

 

Programa Ruas Abertas

 

Das 26 ruas que fazem parte do programa ‘Ruas Abertas’, apenas a Avenida Paulista foi reaberta ao público. O programa estava suspenso desde março de 2020 para evitar aglomerações por causa da pandemia de coronavírus.

VÍDEO: Compare os domingos da Paulista em 2019, 2020 e 2021

–:–/–:–

VÍDEO: Compare os domingos da Paulista em 2019, 2020 e 2021

Em nota, a Prefeitura de São Paulo informou que “o programa Ruas Abertas, suspenso desde março de 2020 por conta da pandemia da Covid-19, teve suas atividades retomadas em julho de 2021 com o funcionamento da Avenida Paulista”.

“A reabertura da avenida foi feita com o parecer das autoridades sanitárias competentes e serve como estudo para as demais ruas do programa. Nenhum outro endereço do Ruas Abertas teve suas atividades retomadas até a presente data. Esse processo ocorrerá com um novo aval das autoridades sanitárias”.

O programa foi criado em 2016 na gestão do então prefeito Fernando Haddad (PT), inicialmente, 29 ruas em diferentes bairros faziam parte da iniciativa. A intenção da lei promulgada era que todas as 32 subprefeituras tivessem ao menos uma rua aberta para o público, o que não aconteceu.

Estabelecimentos comerciais

 

Desde agosto deste ano, o governo de São Paulo encerrou restrições de horário e limite de público em estabelecimentos comerciais e serviços de todos os setores econômicos.

Esses locais não tem limite de horário e nem de capacidade de ocupação de público. Há apenas a recomendação para que aglomerações sejam evitadas e o uso da máscara continua obrigatório.

Estão funcionando sem restrições:

  • Restaurantes, bares, cafés e lanchonetes;
  • Lojas, shoppings, galerias e outros comércios não essenciais;
  • Salões de beleza, barbearias e clínicas de estética;
  • Museus, cinemas, teatros e shows com público sentado;
  • Academias de ginástica, clubes e centros esportivos.
  • Serviços essenciais como supermercados, postos de gasolina, bancos e farmácias já estavam autorizados a operar em qualquer horário.

 

A restrição de circulação noturna (“toque de restrição”), que valia das 23h às 5h, foi suspensa no 1º de agosto em todo o estado. Com isso, a Prefeitura de São Paulo também suspendeu o rodízio noturno de veículos e voltou ao modelo tradicional.

O Prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, tinha informado que o comprovante seria obrigatório para todos os bares, restaurantes e shoppings da cidade, o que gerou reação negativa do setor. Pouco depois, no mesmo dia em 27 de agosto, o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, afirmou que o passaporte seria opcional para esses setores.

Aparecido fez a ressalva de que apenas restaurantes com eventos e teatros de shoppings, por exemplo, teriam obrigatoriedade na exigência comprovante.

Continue lendo

Artigos relacionados