Vale do Ribeira

Ilha Comprida pode ter pancadão neste fim de semana

Esse é tipo de festa que promete agitar Ilha Comprida na madrugada deste domingo (18).
Um baile pancadão tem sido organizado nos últimos dias e uma das atrações da festa, DJ Paredão 13 Loko, é quem faz o convite abertamente nas redes sociais.
Esses pancadões, que geralmente ocorrem no bairro do Rocio, na cidade vizinha de Iguape, não respeitam o distanciamento social, descumprindo as determinações dos governo estadual durante a pandemia, que ainda proíbe atividades culturais e shows com público em pé.
Quem se apresenta no palco é Gustavo da VS, um dos nomes do funk mais conhecidos no Vale do Ribeira e Baixada Santista. As letras de suas músicas com muito palavrão fazem apologia ao consumo excessivo de álcool, sexo e violência. O jovem também diz confirmar presença no evento ilegal.
Esse convite divulgado em redes sociais e grupos de WhatsApp mostra a data do evento, mas o local não é revelado até uma hora antes do início para tentar driblar a fiscalização e a polícia. Outros dois DJs estão confirmados: Chefe dos Mandela, DJ Lon do Pantanal.
A polícia civil disse ter conhecimento da festa e que fez contato com os organizadores, que teriam cancelado o evento.
O delegado de Ilha Comprida, Carlos Eiras, não forneceu um dado específico sobre ações da polícia desde o início do ano para coibir esses eventos ilegais.
Apesar de moradores dizerem que os bailes acontecem, a polícia diz que tem conseguido travar as festas antes mesmo que elas aconteçam e que prisões foram efetuadas nas redondezas de onde essas festas são realizadas, inclusive, segundo testemunhas, nas dunas do Araçá, local de preservação ambiental.
A polícia militar acredita que o suposto cancelamento pode ser um blefe para escapar da fiscalização.
No dia primeiro de janeiro pelo segundo ano seguido um pancadão parou a avenida Beira Mar, no Boqueirão Norte, em um momento de restrições por conta da pandemia.
No ano anterior, até o prefeito Geraldino Júnior foi para rua com apoio da polícia para frear a festa.

Luis Roberto Moura/Diário do Ribeira

Continue lendo

Artigos relacionados