ItanhaémMongaguá

Homem desaparecido há 19 dias estava enterrado

O rapaz trabalhava como caseiro em Itanhaém, mas foi encontrado morto em Mongaguá

Edcley Camilo da Silva, natural de São Paulo, que trabalhava como caseiro em Itanhém, foi encontrado morto em um canal e já havia sido enterrado em Mongaguá, após estar desaparecido há 19 dias.

Os familiares descobriram o sumiço do caseiro com o dono da casa onde ele trabalhava. O contratante, porém, mesmo sabendo que Edcley não era visto desde o dia 10 de outubro, só alertou a família no dia 22.

Depois de uma semana, a irmã da vítima, Simone Camilo da Silva, de 39 anos, descobriu que o caseiro já havia sido encontrado morto e o corpo havia sido enterrado em Mongaguá, no mesmo dia 10. Ela explica que, ao tentar registrar o boletim de ocorrência de desaparecimento, conseguiu ver que o irmão tinha passado pelo Instituto Médico Legal (IML) de Praia Grande, cidade vizinha.

Simone diz que Edcley sofria de problemas com alcoolismo e que a família gostava de estar perto, mas que, mesmo com dificuldades para largar a bebida, ele nunca desapareceu ou ficou sem dar notícias antes. “Meu irmão nunca saiu, sempre foi muito responsável, era prestativo e ajudava as pessoas. Tinha um coração muito grande, não merecia isso”, finaliza.

O caso é investigado pela Delegacia de Mongaguá. Diligências e laudos estão em andamento para esclarecer as causas da morte. O delegado do caso explicou que o corpo foi encontrado em estado de decomposição e que o clima quente acelera esse processo, por isso não é possível manter o corpo no IML por muito tempo. Os primeiros exames indicam que a causa da morte é indeterminada.

Continue lendo

Artigos relacionados


 
Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo