Tecnologia e Ciência

Bitcoin despenca e US$ 90 bilhões ‘desaparecem’ do mercado

O Bitcoin (BTC) voltou a ser cotado abaixo dos US$ 30 mil, na manhã desta terça (20), arrastando a avaliação de todas as outras moedas digitais para baixo. Em menos de 24h, cerca de US$ 89 bilhões foram “varridos” do mercado de criptomoedas, de acordo com dados da CoinMarketCap.

O movimento das moedas digitais segue uma tendência global. Os temores por conta de uma nova variante do coronavírus fizeram com que investidores retirassem seus recursos das bolsas de valores em todo o mundo. Na segunda (19), o Índice Dow Jones registrou o seu pior dia desde outubro do ano passado.

Restrições às criptomoedas

Autoridades de diversos países buscam restringir as atividades do mercado de criptomoedas. (Fonte: Pixabay/Oleg Gamulinskiy/Reprodução)Fonte:  Pixabay/Oleg Gamulinskiy/Reprodução 

O governo da China tem reprimido o comércio e a mineração de criptomoedas. Os chineses forçaram o fechamento de operações de mineradoras em suas principais regiões por conta do uso intensivo de energia elétrica.

Desde 2017, as negociações de criptomoedas estão banidas no gigante asiático, o que forçou o mercado a se mudar para o exterior. Agora, os reguladores buscam aumentar a fiscalização sobre o comércio. O banco central da China tem lembrado constantemente a empresas de finanças e fintech sobre a proibição de serviços relacionados ao mercado de criptografia.

Outros países também estão colocando restrições ao mercado cripto, como é o caso da Malásia, que passou um rolo compressor em mais de mil máquinas de mineração. A Binance, maior bolsa de moedas digitais do mundo, também sofreu com restrições no Reino Unido. Além disso, autoridades do Japão, Canadá e Tailândia emitiram um alerta sobre a corretora.

O que acontecerá com o Bitcoin?

O Bitcoin chegou a ser visto como uma reserva contra riscos do mercado tradicional e costumava se valorizar com as incertezas da economia global. Em abril de 2021, a moeda digital atingiu um novo recorde, sendo cotada a US$ 65 mil.

Agora, a preocupação com a força da recuperação econômica após a pandemia se juntou com a recente fraqueza do Bitcoin e desestabilizou o mercado de criptomoedas. Enquanto algumas pessoas estão deixando o segmento, isso também pode ser uma oportunidade para entrada no mercado — tudo depende do nível de risco que o investidor está disposto a encarar.

Segundo Vijay Ayyar, chefe de desenvolvimento de negócios da bolsa de criptomoedas Luno, o Bitcoin pode alcançar o nível de US$ 22 mil a US$ 24 mil, mas deve se recuperar futuramente. “Eu veria Bitcoin entre 20-40K (US$ 20.000 a US$ 40.000) por um tempo, antes que o otimismo retornasse”, disse Ayyar.

Continue lendo

Artigos relacionados