Tecnologia e Ciência

Google, Facebook e Twitter devem se esforçar mais para combater fake news, diz UE

BRUXELAS —  Dois anos depois de concordar com um código de prática autorregulatório para combater a desinformação, Facebook, Alphabet, Google, Twitter e outros rivais de tecnologia devem se esforçar mais para ser mais eficazes em suas ações contra as fake news, disse a Comissão Europeia nesta quinta-feira.

Notícias falsas relacionadas à Covid-19 aceleraram os apelos para que as mídias sociais sejam mais pró-ativas no combate ao problema.

Na Austrália:  ‘Lei no país pode ter repercussão global’, diz representante de TVs sobre cobrança de Google e Facebook por notícias

As empresas, incluindo Mozilla e órgãos comerciais da indústria de publicidade, assinaram o código em 2018, numa tentativa de evitar regulamentações mais pesadas. A Microsoft e a TikTok posteriormente se juntaram ao grupo.

Após uma avaliação de seu primeiro ano de operação, a Comissão Europeia aponta que existem várias deficiências no código, de acordo com um relatório visto pela Reuters.

“Estes podem ser agrupados em quatro categorias amplas: aplicação inconsistente e incompleta do código entre plataformas e estados membros, falta de definições uniformes, existência de várias lacunas na cobertura dos compromissos do código e limitações intrínsecas à natureza autorregulatória do código ”,  mostra o relatório.

Pedro Dória:  Fcebook expurgar rede bolsonarista de desinformação é muito importante, mas não é o suficiente

A vice-presidente da Comissão de Valores e Transparência, Vera Jourova, pediu mais ações para combater novos riscos de disseminação de notícias falsas.

“Como também testemunhamos novas ameaças e atores, é hora de ir além e propor novas medidas. As plataformas precisam se tornar mais responsáveis e transparentes. Elas precisam se abrir e fornecer melhor acesso aos dados, entre outros pontos ”, disse Vera, que atualmente está trabalhando em um Plano de Ação para a Democracia Europeia para tornar a democracia mais resistente às ameaças digitais.

ByteDance:  Dona do TikTok pode perder prazo para venda do aplicativo nos EUA

A comissão também se prepara para propor, até o fim do ano,  novas regras chamadas de Lei de Serviços Digitais, o que aumentará as responsabilidades da mídia social pelo conteúdo em suas plataformas.

Continue lendo

Artigos relacionados


 
Botão Voltar ao topo