Saúde

Você sabe como o uso excessivo do smartphone pode afetar a sua saúde?

Atualmente, com o crescimento das redes sociais e com o desenvolvimento de aplicativos e jogos, além da informatização das relações de trabalho, os brasileiros passam aproximadamente dez horas por dia conectados ao celular, sendo que a recomendação segura e saudável da Organização Mundial de Saúde (OMS) é de no máximo uma hora diária.

O uso abusivo do aparelho que até há pouco tempo era mais utilizado para fazer e receber ligações pode afetar a saúde do ser humano de forma sistêmica.

Ao olhar à tela do celular, a pessoa inclina-se para frente de tal forma que sua cabeça fique pesando cerca de cinco vezes mais, ou seja, em torno de 25 kg, o que sobrecarrega a musculatura do pescoço podendo levar a fortes dores na coluna cervical e na cabeça.

O uso demasiado também afeta o sistema de recompensa cerebral o qual assim que acionado libera dopamina, substância relacionada ao prazer, sendo que os níveis deste neurotransmissor diminuem toda vez que o indivíduo se desconecta, criando uma relação de dependência com o objeto afim de se garantir a satisfação. Este mecanismo aumenta o risco de transtornos de ansiedade e depressão.

Além disso, estar conectado a maior parte do tempo significa não estar fazendo atividade física, ou seja, aumenta o sedentarismo, fator de risco para doença cardiovascular.

Por último, durante o uso no período noturno, a luz azul emitida pela tela do celular diminui a produção da melatonina (hormônio antioxidante que atua na regulação do sono) e aumenta a síntese de cortisol (hormônio relacionado ao estresse), extendendo o ciclo circadiano, o que eleva o risco de doenças crônicas.

Continue lendo

Dr. Rafael Porto

Dr. Rafael Porto, CRM 145.690. Cardiologista Ortomolecular, título de especialista em Cardiologia e Pós-graduado em Prática Ortomolecular (lato sensu).

 
Botão Voltar ao topo