Saúde

Você sabia que ter um cachorro reduz cerca de 30% a mortalidade cardiovascular?

Todos sabem que iniciar a prática de exercícios físicos, fazer dieta hipossódica com menor quantidade de carboidratos refinados, perder peso e cessar o tabagismo são medidas que diminuem o risco cardiovascular.

Mas poucos sabem, inclusive profissionais da área da saúde, que o simples fato de ter um cão pode diminuir em aproximadamente 25% o risco de morte por todas as causas e em até 31% o risco de morte por infarto ou AVC.

Ainda não se sabe com exatidão como o melhor amigo do homem consegue causar tamanho impacto na vida do ser humano.

Conforme pesquisas, sugere-se que a interação com o animal reduza a produção de cortisol no homem (hormônio relacionado ao estresse) e aumente a produção de ocitocina, hormônio que promove sentimentos de amor, bem estar e de maior vínculo social.

Supõe-se também que ao adquirir o animal, o dono se veja na obrigação de cuidar melhor da própria saúde, uma vez que a partir de então, ele tem alguém que depende dele.

Além disso, pessoas que têm um cachorro geralmente são menos sedentárias, pois saem frequentemente para passear com seus cães.

E por último o mais surpreendente, presume-se que indivíduos que possuem animais de estimação apresentem microbiota (conjunto de microrganismos que habitam o corpo) mais saudável que aqueles que não os possuem, o que contribui para reduzir a inflamação e o estresse oxidativo (aumento dos Radicais Livres), os quais favorecem o surgimento das doenças crônicas.

E você, já tem um Dog?

Se ainda não, o que está esperando?

A sua saúde e o seu coração agradecem.

Continue lendo

Dr. Rafael Porto

Dr. Rafael Porto, CRM 145.690. Cardiologista Ortomolecular, título de especialista em Cardiologia e Pós-graduado em Prática Ortomolecular (lato sensu).

 
Botão Voltar ao topo