Esporte

Brasil joga pelo bi e contra fiasco da 1ª Olimpíada no Japão

Em busca do bicampeonato, a seleção olímpica do Brasil estreia nos Jogos Olímpicos do Japão, contra a Alemanha, às 8h30 desta quinta (22), em Yokohama, buscando traçar um caminho distinto do percorrido na primeira Olimpíada disputada na Terra do Sol Nascente.

Na edição de 1964, que teve, a exemplo de agora, Tóquio como sede –e que também abrigou jogos de futebol em cidades que não a capital japonesa–, o Brasil parou na primeira fase.

A equipe era dirigida por Vicente Feola, treinador do time que conquistou a Copa do Mundo de 1958, na Suécia, e da equipe que em 1966 cairia precocemente no Mundial na Inglaterra.

O time-base olímpico era: Hélio; Mura, Zé Luiz, Valdez e Adevaldo; Elizeu, Caravetti e Ivo Soares; Humberto Redes (Mattar), Roberto e Zé Roberto.

Todos jogadores de destaque em seus clubes à época, mas o mais conhecido deles é Roberto, chamado por muitos de Roberto Miranda, apelidado de Vendaval, estrela do Botafogo e tricampeão mundial –foi reserva de Tostão na Copa de 1970, no México.

Vicente Feola foi o treinador da seleção masculina nas Olimpíadas de Roma, em 1960, e de Tóquio, em 1964 (Acervo UH/Folhapress

Integrante do Grupo C, a seleção brasileira teve como adversários o Egito, a Coreia do Sul e a Tchecoslováquia. Os dois primeiros colocados avançavam às quartas de final, porém o Brasil decepcionou e acabou em terceiro lugar.

O jogo de estreia se mostrou determinante para o futuro do Brasil na Olimpíada de 1964.

Atuando em Setagaya, na região de Tóquio, ganhava do Egito, com gol de Roberto, até os 43 minutos do segundo tempo, quando Shanin empatou.

Na segunda partida, em Yokohama, a seleção ganhou bem, de goleada, 4 a 0 na Coreia do Sul. Marcaram Zé Roberto, Elizeu (2) e Roberto.

Na rodada derradeira, um empate diante da Tchecoslováquia em Omiya servia para obter a classificação, só que o Brasil perdeu por 1 a 0 (Valosek).

A eliminação veio com o resultado de Egito x Coreia do Sul.

Os “faraós”, em partida disputada no mesmo horário de Brasil x Tchecoslováquia, aplicaram um histórico 10 a 0 nos adversários, empatando em pontos com os brasileiros e terminando em vantagem (6 a 3) no saldo de gols.

Na disputa da medalha de ouro, no Estádio Olímpico de Tóquio, a Hungria derrotou a Tchecoslováquia por 2 a 1. O bronze ficou com a Alemanha, que passou pelo Japão por 3 a 1 na mesma arena.

Em tempo: Com esse revés no Japão, 57 anos atrás, a seleção masculina ampliou seu jejum de medalhas no futebol, que duraria até 1984, quando ganhou a prata em Los Angeles (EUA). Depois, vieram mais duas pratas (Seul-1988 e Londres-2012), dois bronzes (Atlanta-1996 e Pequim-2008) e o ouro na Rio-2016. O Brasil é o país que mais acumula pódios no futebol masculino em Olimpíadas: seis.

Continue lendo

Artigos relacionados