Entretenimento

Ator que trabalhou em ‘Coringa’ e ‘Se Beber, Não Case’ é acusado de estupro

O ator e comediante Bryan Callen, que teve papéis menores em filmes como “Coringa” e “Se Beber, Não Case”, foi acusado de estupro e má conduta por quatro mulheres. Os relatos foram divulgados no Los Angeles Times.

A atriz Katherine Fiore Tigerman afirmou que ela foi estuprada por Callen após um jantar em 1999. Outra que denunciou o humorista foi Rachel Green, que disse que ele a empurrou contra a parede do provador da loja em que trabalhava, em 2009.

Já o caso com Tiffany King foi em 2017. Ela afirma que pediu dinheiro emprestado e, em troca, Callen pediu para que ela fizesse sexo oral nele.

Claire Ganshert, por outro lado, teve uma relação de quatro anos com Callen quando ela estava começando a carreira. Ela conta ter se sentido “desvalorizada e desmoralizada”, e lembra que o ator certa vez disse que mulheres têm um “desejo biológico, primitivo, de serem estupradas”.

Callen negou todas as acusações ao site.

Ele construiu sua carreira no stand-up, mas sempre arranjou papéis na televisão e no cinema. Outros projetos dele são “Schooled”, “Os Goldbergs”, “Pense Como um Cão”, “CSI: Investigação Criminal” e “Guerreiro”.

Para cima