Economia

Projeto que estende calamidade faz Bolsa cair e dólar subir

O dólar voltou a ser cotado acima de R$ 5,10 e a Bolsa de Valores brasileira perdeu os 115 mil pontos após o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), que tem postura crítica ao governo, apresentar um projeto para estender o decreto de calamidade pública, previsto para acabar no fim deste ano, até 31 de março de 2021. A iniciativa poderia abrir caminho para uma prorrogação do auxílio emergencial.

A proposta apresentada nesta segunda-feira (14) , no entanto, não tem apoio dos articuladores do Palácio do Planalto no Congresso. Governistas no Senado e na Câmara dizem que o projeto não será votado —a equipe econômica é contrária à prorrogação do auxílio emergencial apesar do aumento no número de casos e mortes por Covid-19.

“O mercado já contava que esse projeto chegaria. A preocupação é a força que isso vai ganhando, com apoio de nomes importantes, diz Henrique Esteter, analista da Guide Investimentos.

O Ibovespa, principal índice do mercado acionário do país, chegou a apagar queda de 2020 no início do pregão, tocando os 115.740 pontos —um alta de 0,08% em relação aos 115.645 pontos do último pregão de 2019.

Ao longo da sessão, porém, o índice perdeu força com o a possível extensão do auxílio emergencial e acompanhou o viés negativo dos índices S&P 500 e Dow Jones em Wall Street, que cederam 0,44% e 0,62%, respectivamente, fechando em queda de 0,44%, a 114.611 pontos. Já a Bolsa de tecnologia Nasdaq subiu 0,5%.

A queda dos índices tradicionais foi impulsionada pelo recuo de3,3% das ações da Walt Disney depois que a BMO Capital Markets cortou a recomendação para os papéis após os ganhos recentes e disse que a Netflix era novamente sua “escolha preferida”. Os papéis da Netflix subiram quase 4%.

O real também refletiu o aumento do risco fiscal e foi a segunda moeda emergente que mais se desvalorizou na sessão, atrás apenas do rublo russo.

Além do projeto de Vieira, a aproximação do recesso do Legislativo a expectativa de que várias pautas pendentes, como o Orçamento para 2021 e a reforma tributária, sejam votadas apenas em 2021 também preocupam investidores.

Depois de cair a R$ 5,01 na mínima da sessão, o dólar fechou em alta de 1,54%, a R$ 5,125. O turismo está a R$ 5,277.

Alguns analistas disseram que a virada no comportamento da moeda em relação às mínimas do pregão não refletiu uma mudança significativa no cenário desta manhã, atribuindo o movimento a um ajuste.

“Há pontos de realização. Quando a moeda encosta em R$ 5 é natural que haja um movimento de compra”, afirma Fernando Bergallo, diretor de operações da assessoria de câmbio FB Capital, acrescentando que o mês de dezembro deve contar com volatilidade, devido a mudanças na liquidez e reajuste de posições.

O Banco Central fez neste pregão leilão de swap tradicional de até 16 mil contratos com vencimento em abril e setembro de 2021, em que vendeu o total da oferta.

O BC começou a ampliar o volume ofertado em seus leilões de rolagem de swap cambial tradicional no final do mês passado, diante da expectativa de compra bilionária de dólares na virada do ano relacionada ao desmonte do overhedge.

(Com Reuters)

Continue lendo

Artigos relacionados