Economia

Norma proibirá mudança no sistema original de iluminação dos carros

Uma nova norma do Contran (Conselho Nacional Trânsito) sobre iluminação automotiva proíbe mudanças nos faróis dos carros em circulação no Brasil.

A Resolução 667, publicada em maio de 2017, entrará em vigor em janeiro de 2021. O texto determina que “é proibida a substituição de lâmpadas dos sistemas de iluminação ou sinalização de veículos por outras de potência ou tecnologia que não sejam originais do fabricante.”

A regra dá a entender que não será mais possível substituir as lâmpadas originais por modelos de tecnologia superior, mesmo que o motorista siga os padrões de segurança.

De acordo com a resolução vigente hoje, é permitido trocar o equipamento de fábrica, desde que a mudança conste na documentação do carro.

Por exemplo, o proprietário pode substituir as lâmpadas halógenas por um conjunto de LEDs, mas o carro deverá passar por inspeção no Detran para verificar se a instalação está em conformidade com normas de segurança.

Faz sentido haver controle do que os proprietários instalam em seus carros. No caso das lâmpadas, a enorme quantidade de equipamentos de baixa qualidade no mercado leva insegurança ao trânsito. Quem já foi ofuscado por um carro que vinha na contramão conhece o problema.

Entretanto, a evolução recente dos LEDs permite uma troca segura. É uma solução mais eficiente que os faróis de gás xenônio, pois permite maior controle do facho luminoso sem a necessidade de ajuste automático de altura ou de lavadores do conjunto ótico.

As fabricantes de lâmpadas tentam alterar a norma antes de sua publicação, mostrando o quanto os equipamentos evoluíram desde 2017. As empresas apresentam homologações internacionais como argumento e mantêm a esperança de obter sucesso. Leis desse tipo mudam sem que os motoristas tomem conhecimento.

Basta ver o que aconteceu com uma exigência de segurança ligada à iluminação que deveria vigorar a partir de 1º de janeiro de 2021, quando todos os carros produzidos no Brasil já deveriam trazer luzes diurnas. A medida tem o objetivo de tornar os carros mais visíveis na estrada.

Entretanto, a pedido da Anfavea, a implementação da norma foi postergada para 2024.

A entidade que representa as montadoras alegou que, com a pandemia, o ritmo dos trabalhos foi interrompido ou se tornou mais lento devido a novas exigências sanitárias, sendo necessário mais tempo para se adequar a uma nova resolução.

Continue lendo

Artigos relacionados


 
Botão Voltar ao topo