Economia

Presidentes de big techs depõem nesta semana

Os presidentes-executivos do Facebook, Twitter e Alphabet (grupo dono do Google) comparecerão diante de uma comissão do Senado americano em 28 de outubro para enfrentar questionamentos sobre suas políticas de moderação de conteúdo nas plataformas de internet.

Mark Zuckerberg, do Facebook, Jack Dorsey, do Twitter, e Sundar Pichai, da Alphabet, proprietária do Google e do YouTube, vão depor à Comissão de Comércio do Senado por videoconferência, de acordo com a comissão liderada por republicanos.

A audiência se concentrará na Seção 230 da Lei de Decência nas Comunicações, que protege as plataformas de rede social da responsabilidade pelo conteúdo dos usuários —mas que, segundo os republicanos, foi usada pelas empresas de tecnologia para censurar opiniões conservadoras.

As companhias dizem que tomam essas decisões sem levar em conta pontos de vista políticos. Os democratas, por sua vez, incentivaram as empresas a serem mais proativas no policiamento de informações falsas nas redes sociais.

O anúncio da Comissão de Comércio do Senado disse que a audiência de 28 de outubro “oferecerá uma oportunidade para se discutir as consequências imprevistas do escudo de responsabilidade da Seção 230 e a melhor forma de preservar a internet como fórum para o discurso aberto”.

O presidente do painel, senador Roger Wicker (republicano do Mississipi), pressionou para que a audiência ocorresse em um curto espaço de tempo. Ele decidiu autorizar o envio de intimações aos três presidentes-executivos no início deste mês, menos de uma semana após ter pedido seu depoimento.

Em uma audiência para votar as intimações, ele salientou a aproximação das eleições presidenciais americanas em 3 de novembro.

Os democratas não se opuseram à emissão das intimações, embora alguns tenham dito não acreditar que fosse necessário questionar os presidentes-executivos antes da eleição.

A audiência da Comissão de Comércio do Senado é separada de uma audiência planejada pela Comissão de Justiça do Senado, que autorizou nesta quinta (22) seu presidente a intimar Dorsey e Zuckerberg depois de as empresas terem limitado o compartilhamento artigos do jornal “New York Post” relacionados ao filho do candidato democrata à presidência, Joe Biden.

O resultado da votação para permitir que a presidente da comissão, o republicano Lindsey Graham, convoque os executivos foi de 12 votos a favor e nenhum contrário.

O Congresso americano normalmente negocia com as companhias para receber depoimentos voluntários em audiências, optando por intimações apenas em caso de resistência dos executivos.

Ainda não há data prevista para a audiência. O Facebook e o Twitter se recusaram a comentar.

Congressistas democratas não participaram da reunião que votou pela intimação, uma vez que decidiram boicotar uma segunda votação da comissão referente à nomeação de Amy Coney Barrett, indicada pelo presidente Donald Trump, para a Suprema Corte.

Tradução de Luiz Roberto Mendes Gonçalves​

Continue lendo

Artigos relacionados