Economia

Com tempo livre na pandemia, autores estreantes lotam editoras de autopublicação

Estante Com mais tempo livre para escrever, autores estreantes inundaram editoras especializadas em autopublicação. Foi preciso buscar mais uma gráfica e dobrar a equipe de design, trazendo mais três profissionais, diz Marcelo Pinho, sócio da Editora Autografia. Segundo ele, a quantidade de obras recebidas por mês saltou de 200 para 350.

Resgate Na Editora Patuá, o número de livros oferecidos subiu de 250 para 500. O interesse dos autores e o impulso na venda online incentivaram a retomada do plano de 20 publicações mensais da empresa paradas em março e abril. Daniel Pinsky, da editora Labrador, diz ter sentido resistência de autores com projetos mais caros no início da crise.

Inspiração A Covid veio com força na nova leva de lançamentos. Aproveitando a deixa, a Autografia vai reunir contos de vários escritores em um livro sobre a experiência da pandemia. No Clube de Autores, que diz estar recebendo mais de mil obras por mês na quarentena, o mais vendido no período é a coletânea “Crônicas de Quarentena”.

com Filipe Oliveira e Mariana Grazini

Continue lendo

Artigos relacionados


 
Botão Voltar ao topo