Economia

Por trás de uma história de sucesso, há diversas histórias de fracasso que não são contadas

Todo mundo quer uma condição melhor para si mesmo e para sua família. Investir dinheiro no mercado financeiro muitas vezes aparece como uma solução mágica. Comprar ações na baixa, vender na alta, e ganhar muito dinheiro com isso. Uma alternativa bastante atrativa —trabalhar de casa, em ritmo menos estressante, ter mais tempo para relaxar e para passar com a família.

Exemplos de pessoas que ganharam dinheiro podem motivar outros a entrar nesse jogo. Mas é justamente aqui que mora o perigo. Sucessos são mais salientes. Jornais dificilmente vão cobrir histórias de quem quebrou a cara. Esses indivíduos também não serão requisitados para dar palestras sobre sua experiência. Ninguém verá seus vídeos no YouTube.

Vejamos um exemplo. Recentemente, a Infomoney publicou uma matéria intitulada “Investidores iniciantes multiplicam capital em até 8 vezes com opções”, que conta a história de duas pessoas que conseguiram aumentar em muito seu patrimônio por meio de opções. Para ser justo, a reportagem enfatiza que a estratégia tem riscos —ainda que foque muito mais nos ganhos por trás disso. Mas o tamanho desse risco não está muito claro. Afinal, as histórias de quem perdeu no mercado de opções geralmente não são notícia.

Como tendemos a conhecer mais as experiências de sucesso, temos uma visão distorcida sobre a probabilidade de ganhar muito dinheiro no mercado financeiro. E abundam tais casos silenciosos, de investidores que tentaram ganhar dinheiro atuando ativamente na bolsa, e que acabaram quebrando a cara.

O artigo acadêmico de nossos colegas do Por Quê? Bruno Giovannetti e Fernando Chague, em coautoria com Rodrigo De Losso, analisa pessoas físicas que tentaram ganhar dinheiro no chamado “day trade” –ativamente comprando e vendendo ações na Bolsa. Os autores notam que, dentre os investidores que persistiram na estratégia por mais de 300 dias, 97% perderam dinheiro. Ou seja, as chances de ficar rico dessa forma são muito pequenas.

Mas o foco desproporcional em quem escapa dessa realidade, muitas vezes por pura sorte, acaba dando a impressão para outros indivíduos de que as chances de ganhar dinheiro não são tão ruins assim. E isso pode fazer com que mais gente entre nesse jogo e saia perdendo.

Não estou dizendo que as pessoas devem ficar longe do mercado financeiro. Muito pelo contrário. A Bolsa oferece bons retornos no longo prazo, e deve ser usada de maneira bastante diversificada, para mitigar riscos. Por outro lado, se você ficar comprando e vendendo ações o tempo todo, vai tomar muito risco e provavelmente perder dinheiro.

Lógica semelhante se aplica ao empreendedorismo. É só abrir o YouTube e encontrar diversos vídeos de empresários de sucesso, que muitas vezes vieram do nada, contando a sua história. Mas e os demais empreendedores que ficaram pelo caminho? Dificilmente terão o espaço e atenção para falar de sua experiência.

A intenção aqui não é desestimular as pessoas a empreender. Longe disso. Mas quando ouvimos uma palestra motivacional, em que a pessoa fala de sua trajetória de sucesso, temos que lembrar que há diversas outras que falharam e não estão ali para contar a história.

Topo