Economia

Nos hospitais, salvo tristes exceções, Brasil se saiu bem, diz empresário

Ladeira O país ingressa na recessão, mas ainda encontra no empresariado avaliações positivas com pontos a melhorar. Para Marco Stefanini, da empresa de TI Stefanini, falta fazer mais testes para detectar Covid-19 na população e refinar gargalos no crédito ao pequeno negócio, mas está avançando. “Sinceramente, por incrível que pareça, acho que teve essa guerra política e tudo, mas nos hospitais, salvo algumas tristes exceções, o Brasil se saiu bem”, diz ele.

Território  Na opinião do empresário, o país pode segmentar a gestão da crise do coronavírus de acordo com a evolução da doença por localidade. “Já tem uma fase em que muita gente vai pegando, vai infectando e expandindo gradativamente mas sob controle”, afirma ele.

Horizonte Stefanini faz elogios à agenda econômica do governo mas ressalva que economia depende de percepção e o enfrentamento político no país atrapalha o cenário. Para ele, existe hoje uma interferência do Judiciário na administração. “Daqui a pouco a gente tem um desbalanceamento de poder”, diz ele.

Bola de cristal Apesar da recessão na primeira parte do ano, o presidente da Bosch na América Latina, Besaliel Botelho, afirma que ainda é difícil fazer previsões para 2020. Ele acredita que o cenário atual aponta para uma retomada de mercado lenta e gradual no segundo semestre.

Veja outros temas da coluna Painel S.A. nesta segunda (29)

Feira de vinhos aposta na normalização da pandemia e anuncia evento presencial em outubro

Home office deve reduzir imóveis de escritório mas não acabar com eles, dizem construtoras

Indústria química atinge pior uso da capacidade em 30 anos

Enzo Celulari adere a tuitaço de consultoria para pedir novo ministro da Saúde

Consumidor com mais de 60 anos quintuplica no ecommerce de alimentos no Extra

com Mariana Grazini

Topo