Dia a Dia

Dia Mundial do Transtorno Afetivo Bipolar

O dia 30 de março é utilizado para comemorar o Dia Mundial do Transtorno Afetivo Bipolar. A data é celebrada no dia do aniversário do pintor holandês Vincent Van Gogh, que foi diagnosticado, postumamente, como provável portador do transtorno.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Transtorno Afetivo Bipolar atinge atualmente cerca de 140 milhões de pessoas no mundo e é considerada uma das principais causas de incapacidade no que diz respeito  à saúde mental. O transtorno afetivo bipolar é um distúrbio psiquiátrico complexo.

Sua característica mais marcante é a alternância muitas vezes súbita, de episódios de euforia, uma espécie de alegria, conhecida como mania ou hipomania onde se observa aceleração  do pensamento  e da fala, agitação e hiperatividade, desinibição, impulsividade, diminuição da necessidade de sono, idéias de grandiosidade e poder e, por outro lado, a alternância com a depressão onde se observam, alteração do apetite com perdas e ganhos de peso, humor deprimido, perda do interesse e do prazer, sentimentos de culpa, pensamentos de morte e isolamento social.

Muitas vezes,  os períodos assintomáticos podem surgir entre eles.  A causa exata do transtorno afetivo bipolar é desconhecida, porém pode estar associada a alterações de certas áreas do cérebro com influência dos neurotransmissores noradrenalina e serotonina, responsáveis pelo controle do humor. Algumas literaturas comentam o fundo genético na origem da doença também.

O diagnóstico se faz através da avaliação clínica do indivíduo e é muitas vezes demorado devido  à complexidade dos casos. Com relação ao tratamento, uma vez diagnosticado, a psicoterapia,os medicamentos e as mudanças do estilo de vida podem ajudar a controlar as crises, uma vez que a doença não tem cura.

O grande desafio está em convencer o portador da doença e seus familiares que o Transtorno Afetivo  Bipolar é uma doença muitas vezes grave e que precisa de cuidados. Se você suspeita ser Bipolar ou mesmo conhecer alguém que pode ter o problema, procure ajuda médica. Quanto mais cedo o diagnóstico, melhor será o tratamento.

Continue lendo

Júlio Casé

Médico de Família e Comunidade pela Secretaria Municipal de Saúde - Sinop/MT. Professor de medicina de pela UFMT campus Sinop. Guarujaense de história. Autor do livro “Receitas para a vida” pela editora Oiticica.de Sinop-MT

 
Botão Voltar ao topo