BrasilMongaguá

Trio é preso com mais de 100 celulares que seriam arremessados para dentro de presídio em Mongaguá, SP

Eles confessaram que jogariam os itens para dentro do Centro de Progressão Penitenciária Dr. Rubens Aleixo Sendin. Aparelhos seriam usados para aplicar golpe de falso sequestro.

Policiais da Força Tática da Polícia Militar apreenderam mais de 100 celulares, chips e 4,3 kg de drogas do lado de fora do Centro de Progressão Penitenciária Dr. Rubens Aleixo Sendin, em Mongaguá, no litoral de São Paulo, na madrugada desta quarta-feira (13). Segundo apurado pelo g1, três suspeitos, de 32, 31 e 22 anos, foram presos após confessarem que estavam ali para arremessar os itens para dentro do presídio.

De acordo com a PM, uma equipe seguiu para as imediações da unidade penitenciária e se deparou com um carro estacionado, por volta de 00h40, perto do presídio. Os ocupantes apresentaram certo nervosismo ao ver os policiais se aproximarem e decidiram abordá-los.

Durante uma revista pessoal ao três homens, nada de ilícito foi localizado. No entanto, dentro do veículo os policiais encontraram diversas sacolas e mochilas com 128 celulares, 30 carregadores, 43 fones de ouvido, dez chips de operadoras diversas, além de 4,3 kg de maconha e 44 gramas de cocaína.

Itens seriam arremessados para dentro do CPP de Mongaguá, SP — Foto: Divulgação/Polícia Militar

Questionados, os suspeitos confessaram que eram membros do Primeiro Comando da Capital (PCC), e estariam com a missão de arremessar os itens para dentro do CPP. Ainda de acordo com a PM, o trio informou que os celulares eram usados dentro da cadeia para aplicar o golpe do falso sequestro.

Eles foram encaminhados para a Delegacia Sede de Mongaguá, onde foram presos em flagrante. O caso segue sob investigação.

Mais de 4 kg de drogas foram localizadas com os três suspeitos — Foto: Divulgação/Polícia Militar
Continue lendo

Artigos relacionados