Brasil

O que é ser pai?


A polêmica da campanha do Dia dos Pais da Natura estrelada, entre outros, por Thammy Miranda, pai transgênero, ao menos mostrou a importância da presença paterna na família. Alguns podem falar que o ataque à campanha da Natura vem de conservadores (mulheres e homens) desorientados com o avanço do feminismo.

 

Mas seria análise rasa. Pois a figura paterna foi marginalizada durante alguns anos, mas recentemente falasse em paternidade responsável em um país que tem a triste marca de milhões de crianças e adultos que não conhecem seus pais biológicos. Ou de homens que acreditam que pagar pensão é tudo o que devem fazer aos filhos.

     

 

O masculino, a figura do pai, são fundamentais na vida real e os discursos tiveram que se render a esta verdade. A psicologia destaca o papel fundamental do pai, tudo bem que também lembra que em casais gays tanto a figura da mãe quanto do pai recairá em um ou outro cônjuge, o que deve de novo irritar os conservadores.

 

O que mudou durante essas décadas de avanço do feminismo foi que os pais puderam mostrar suas fraquezas aos filhos. E isso é ótimo, nos dar a certeza de que nossos super – homens são seres humanos com sentimentos, medos, dúvidas, que erram. Fraquezas que não tiram nosso amor e respeito, porque sabemos que se aquele homem cheio de fraquezas e com seus medos mesmo assim moveria céu e terra para nos proteger, então isso é amor.

 

O avanço das mulheres significou o avanço da sociedade. E sim, a idéia de masculinidade teve que se adequar a esta evolução, assim como a feminilidade e o papel social das mulheres. Já não cabe uma mulher subserviente, vítima, que deve se autossacrificar pela família.

 

Já não cabe um homem que se ver como a medida do humano, dono do mundo, tem que partilhá-lo com mulheres. E não sejamos hipócritas, essa evolução causa insegurança, ninguém quer perder privilégios, mas no fim, somado tudo, todos ganhamos. Para os homens que se sentem diminuídos com o deslocamento de centro de poder, saibam que o passado não volta e que isso é ótimo.

 

Você pai jovem conservador, você mãe jovem conservadora, quantas vezes se pegou conversando com os avós sobre a diferença de ‘criação’ deles em relação ao seu modo de educar? Somos humanos, o que acreditamos que foi bom em nossa educação repassamos aos filhos, e aperfeiçoamos o que não deu certo.

 

Você faz assim, seus pais fizeram assim. Essa história de um modo de educar perpétuo é balela. A tal família tradicional já é uma evolução do conceito de família. Que neste Dias dos Pais, você, pai, abrace seus filhos com a certeza de que pai é quem cria. E isso quer dizer, quem ama e protege.

 

Feliz Dia dos Pais a todos, sejam os biológicos, os transgêneros, os adotivos, e as mães que tiveram que assumir mais esta função porque os pais biológicos não foram homens suficientes.
 

Artigos relacionados


Botão Voltar ao topo