Brasil

Você já tem um plano?


“Se você tem um sonho, arrume um emprego”. Ouvi esta frase de um grande artista. O raciocínio é o seguinte: Enquanto o tal sucesso não vinha, pessoas hoje consagradas ralaram as barrigas e cotovelos em balcões, oficinas. Gastaram muita sola de sapato ou a voz em empregos que não tinham a ver com seus talentos e desejos.
 
Gente como a gente. Talentosa, mas sem recursos, que batalhou muito pra chegar lá. Entre correr atrás de um sonho dito impossível ou sobreviver, escolheram as duas coisas. É como o personagem de filme antigo que sobreviveu a um desastre: “Só precisamos estar vivos até o resgate chegar” A mensagem é não desistir de seus sonhos, mas também dar passos significativos para concretizá-los. Então tenha um plano e fique na pista, no radar do mercado.
 
Porque da casa no campo com rocks rurais à construção de um império empresarial ou até mesmo napoleônico precisamos de um plano: metas, prazos e recursos. Sucesso não vem de graça e há um porquê disso.
 
A ciência já nos provou que a Natureza não está aqui para nos servir. O ambiente não considera nossas necessidades nem nossas ideiazinhas egocêntricas. O ser humano criou a sociedade a partir de trabalho duro e conhecimento de como a natureza funciona. A outra coisa fundamental é: Se você não pensar economicamente, dificilmente você vai chegar ao sucesso.
 
Casa no campo, criação dos filhos, rede de lojas não são gratuitas. E é mais ou menos o mesmo drama do pescador, terá que lutar com forças gigantescas: como malucos que criam conflitos bélicos para desviar a atenção dos problemas de seu governo. Bolsas enlouquecidas e recessões, inclusive provocadas por vírus. Neste mar de incertezas e movimentos independentes da sua vontade é onde você construirá seu projeto. Só um mapa (plano) e conhecimento farão você vencer.
 
E não se assuste com a visão da página em branco ou da direção sem caminho, sem estrada, apavora e apavorou muita gente melhor do que nós. Começar do nada dá medo mesmo. Mas outros conseguiram e conhecer a história dos que chegaram lá é importante, eles podem dar mesmo o mapa da mina. Fale também com quem perdeu, a derrota nos ensina como não fazer e muitas vezes como sobreviver à dor da perda para nos reabilitarmos.
 
Só não confunda o mapa com o território, ele é uma indicação, um orientador, você terá que viver a jornada. Muita gente cria planos inflexíveis. O cinema mostra bem o valor de se adaptar ao momento, quantas cenas mágicas e geniais da Sétima Arte saíram do improviso, às vezes até mesmo do erro? O roteiro sofre do mesmo problema de qualquer plano: a vida é um conjunto de incertezas. Há a fé também, dirão alguns.
 
Sem ela você olharia o ambiente hostil pela janela e voltaria às cobertas. Mas nunca nos esqueçamos: “Fé torna a coisas possíveis, não fáceis.” Você tem planos para hoje?
 

Mais notícias do colunista

Para cima