Guarujá

Sargento morre ao salvar uma menina de afogamento na praia do Guarujá

A mãe da menina de 13 anos que foi salva de se afogar no mar por um sargento aposentado da Polícia Militar garante que jamais vai esquecer o que José Cláudio Mantovani, de 60 anos, fez por sua filha. O caso ocorreu em uma praia de Guarujá, no litoral de São Paulo. Logo após evitar o afogamento, Mantovani sofreu um mal súbito ainda na água e acabou morrendo.

De acordo com as autoridades, por volta das 11h45 do último domingo (6), o sargento estava na Praia da Enseada quando escutou o pedido de socorro da mãe da menina, que teria sido arrastada por uma corrente de retorno. Ele decidiu entrar no mar para tentar salvar a adolescente e conseguiu retirá-la da correnteza antes que ela se afogasse.

A dona de casa Márcia de Souza, de 47 anos, conta que estava em uma barraca na areia quando uma mulher se aproximou dizendo que sua filha estava se afogando. No início, ela achou a situação estranha, porque a filha Camilly Vitória sabe nadar e estava com uma prancha. De qualquer forma, a família correu em direção ao mar.

“Vimos que era a Camilly mesmo e foi um momento desesperador. Mas, mesmo com o tumulto que estava, o sargento conseguiu ouvir os gritos de socorro e pulou imediatamente no mar para resgatá-la. Ele colocou a minha filha nos ombros, jogou ela em direção à areia e disse ‘vai, filha, que eu vou ficar aqui’. Essa frase não saiu da cabeça dela. Logo depois, ele virou de bruços no mar”, conta.

Após a confusão, Camilly contou à mãe que estava na prancha quando foi surpreendida por uma correnteza, que projetou o equipamento para a frente. Quando ela tentou colocar os pés na areia, já não dava mais altura. Foi então que a menina começou a se afogar. Segundo Márcia, tudo aconteceu muito rápido, em questão de segundos.

“Estávamos olhando ela em cima da prancha e, do nada, a correnteza a levou. Então, apareceu um anjo no caminho da minha filha, que conseguiu salvá-la. Foi um ato heroico, que jamais vamos esquecer. Um dia, esperamos conseguiu abraçar a família do sargento e agradecer pelo que ele fez. Não é fácil para eles terem perdido uma pessoa tão boa e tão nova”.

A adolescente, que mora no interior paulista, ainda está em choque com tudo o que aconteceu e mal consegue dormir. Após ser salva pelo sargento, ela insistiu para que família voltasse para socorrê-lo. O pai puxou Mantovani para a areia e acionou os salva-vidas. Ele chegou a ser socorrido para uma unidade de saúde, mas não resistiu.

“Minha filha nasceu de novo. Vê-la saindo do mar foi um grande alívio. Agradeço de coração por tudo que o sargento fez. Rezo para que Deus abençoe a família dele”, finaliza a mãe.

O sargento José Cláudio Mantovani morava na cidade de Cerqueira César, no interior paulista. Foi constatado que ele sofreu uma parada cardiorrespiratória após o salvamento. Manobras de reanimação foram usadas pelas autoridades e ele foi socorrido a uma Unidade de Pronto Atendimento da cidade, onde foi constatada a morte. Ao Grupamento de Bombeiros Marítimo (GBMar), a esposa do idoso informou que ele era hipertenso e não fazia uso de bebida alcoólica.

Fonte: G1

Continue lendo

Artigos relacionados


 
Botão Voltar ao topo